sábado, 19 de dezembro de 2009

Pescador de 'Nada'


Pescador de 'Nada'
[Patricia Montenegro]

Na manhã chuvosa,
Na praia quase deserta,
-Pombos como companhia-
Diante de um mar agitado,
Lá está o homem franzino,
Sobre o corpo apenas um saco,
Transformado com habilidade,
Em capa de chuva,
Olhar atento as ondas,
Pensamento perdido,
-O que procuras?-
A sua frente as ondas,
Bailando em seu vai e vem,
Entorpecidas pela sinfonia das marés,
Nas mãos calejadas pela vida,
Traz longo cabo em metal,
Com cesta remendada,
E dentes já gastos pelo tempo,
-Seu sustento-,
Incansável em sua dança ritmada,
Puxa a areia trazida pelo mar,
E mergulha a cesta nas ondas revoltas,
Com olhos desiludidos vê a mesma vazia,
Uma constante em sua caminhada,
-Persistente não desiste-
Que tanto busca esse homem?
O que espera de oferta das ondas do mar,
Ah... Homem solitário,
Que já foi pescador de sonhos,
De esperanças e ilusões,
Transformado pela vida sofrida,
Em apenas um pescador de 'nada'...


Rio de Janeiro, 08-12-09 - 20h29min




Foto: Praia de Ipanema_Rio de Janeiro_Arquivo pessoal.
*Poema inspirado em cena real de uma manhã chuvosa em que sentada na beira mar tentei sentir o que esse solitário homem sentia..*





4 comentários:

  1. Oi Rosana meu e-mail é: patricia-montenegro@uol.com.br

    ResponderExcluir
  2. E tive um sonho!
    Mil, um milhão, alguns cheios de firmeza
    Tenho-os todos guardados num lugar secreto
    Onde não mora a incerteza

    Com eles planto canteiros
    Faço de espantalho para afugentar descrença
    Rego com gotas de emoção cada planta
    Só deixo que tape o sol a tua presença

    Uma caixa repleta de sonhos felizes para 2010


    Um mágico beijo

    ResponderExcluir

Sejam benvindos!
Obrigada pela sua visita. Fico muito feliz com o seu comentário.
Volte sempre que desejar.
Com carinho,

Patricia